SAÚDE

20/11/17 - População aprende a utilizar a bertalha em busca da alimentação saudável
20/11/2017 - 16h53

  

No dia 14 de novembro, o Cpic (Centro de Práticas Integrativas e Complementares) realizou o Rosa (Roda de Saberes) sobre a bertalha. O intuito é ensinar a população a usar plantas não convencionais em busca de uma alimentação mais saudável.

O encontro é realizado todos os meses com diferentes plantas em que as pessoas presentes aprendem como identificar, cultivar, suas propriedades e até mesmo receitas.

 “Eu acho muito interessante saber sobre as plantas porque elas nos dão vitamina, dão vida, por isso que eu venho. Eu gosto muito e toda vez que tem eu procuro vir. Eu já utilizei uma planta que elas indicaram para a menopausa, que foi a folha de amora”, comentou a auxiliar de saúde bucal do PSF Araretama III, Jaira Ferreira dos Santos.

Segundo informações do Cpic, a bertalha é uma planta de cultivo no verão, por isso, pode substituir o espinafre que é uma planta do inverno, possuindo propriedades muito mais ricas como vitaminas A, B e C, além de cálcio, fósforo e ferro.

Os participantes puderam provas as folhas da bertalha que pode ser consumida crua, em sucos verdes, massas, ensopados, bolinhos, suflês, cremes, entre outros. A receita experimentada foi o bolinho de bertalha assado, aprovado por todos os presentes, que também puderam levar para casa mudas da espécie com todas as instruções para o cultivo.

A agrônoma Cristina Castro comenta que nada impede de toda a população de ter uma alimentação saudável, criando a sua própria horta e conhecendo melhor as plantas tradicionais da sua região, pois todo o país é rico em vegetação e nós devemos valorizá-la. “A importância de se ter uma alimentação mais saudável é justamente você olhar para o seu organismo e ver o que você está colocando dentro de você. As PANCS, que são as plantas alimentícias não convencionais, vêm nesse contexto. Na verdade elas são plantas tradicionais conhecida dos nossos avós e nossos pais que se alimentavam, mas acabaram caindo no desuso com a globalização e a vida corrida. As pessoas compram tudo pronto. E nós estamos adoecendo justamente por causa dessa alimentação, não saudável. Então estamos em uma campanha que é “coma comida de verdade”, não precisa ser PANCS, mas se conseguir melhor ainda pois elas são muito ricas nutricionalmente”, explicou.

 

A última planta estudada neste ano será a Ora-Pro-Nóbis, no dia 12 de dezembro, às 14 horas. Para participar, é só comparecer ao Cpic, na Rua Albuquerque Lins, n°245, em frente ao prédio da Receita Federal.

Outras Matérias
Adote Adote

ACESSO RÁPIDO