SAÚDE

Grupo de professores passa a ser atendido na vacinação contra a gripe
10/05/2017 - 17h39

  

A partir desta edição da campanha de vacinação contra influenza, professores das redes pública e privada passam a fazer parte do público-alvo. Cerca de 2,3 milhões desses profissionais em todo o país podem se vacinar contra a gripe, desde a segunda-feira (8).

De acordo com o Ministério da Saúde, pela primeira vez, o Brasil está vacinando os professores contra a influenza. São profissionais que têm contato com dezenas de alunos diariamente, ficando expostos à contaminação.

Desde o início de abril, o país está em campanha de vacinação contra Influenza. Por determinação do Ministério da Saúde e para melhor organização do atendimento, a vacinação está sendo fracionada por grupos.

Já foram atendidos os grupos de pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, apresentando prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina no ato da vacinação. São elas: respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas, neurológicas, diabetes, imunossupressão, obesidade grau 3, transplantados e portadores de trissomias.

Também já foram chamados os grupos de profissionais da saúde que trabalham em hospitais, profissionais da saúde e idosos, grupo de gestantes, puérperas (mulheres que deram à luz há menos de 45 dias), crianças maiores de seis meses e menores de 5 anos, e indígenas.

O dia 13 de maio será o Dia “D”, quando haverá um horário especial de atendimento em 11 postos pela cidade, além da Praça Monsenhor Marcondes.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, Carla Domingues, fez um alerta à população para que não se vacine em cima da hora. “É importante que todos os grupos definidos busquem esta proteção dentro do prazo preconizado pelo Ministério da Saúde. É preciso que todos estejam devidamente protegidos antes do inverno chegar, já que a vacina precisa de 15 dias para garantir o efeito”, observa.

O objetivo do ministério é vacinar 90% da população considerada de risco para complicações por gripe. A meta de vacinação deste ano aumentou devido aos índices alcançados nos últimos anos, que ultrapassaram 80%. O ano de 2016 foi o primeiro em que este índice ultrapassou 90% e atingiu 93,5% de cobertura vacinal.

 

Grupo de crianças e gestantes abaixo da meta

De acordo como diretor do Departamento de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde da Prefeitura, Rafael Lamana, até o momento Pindamonhangaba vacinou 15.088 pessoas, faltando ainda 14.952 para serem imunizadas. Porém, o que chama a atenção é a baixa procura dos grupos de crianças e de gestantes, que está muito abaixo da meta.

Por exemplo, o grupo de crianças conta com 2.650 imunizações, quando a meta é de 9.661 crianças a serem vacinadas.                

Até o dia 26 de maio, todas as pessoas que fazem parte do grupo prioritário, independentemente da semana determinada pelo Ministério da Saúde para cada grupo, devem procurar os 25 locais de vacinação na cidade.

Para tomar a vacina, além de ser do grupo prioritário, a pessoa deve levar o RG e a carteira de vacinação, se tiver.

Para a campanha deste ano, o Ministério da Saúde está enviando 44 mil doses da vacina para Pindamonhangaba, sendo 14 mil doses a mais do que no ano passado. 

Outras Matérias
Adote Adote

ACESSO RÁPIDO